Dr. Wilson Morikawa Jr.

Neuromodulação: o que é e quando considerar?

Neuromodulação: o que é e quando considerar?​

Neuromodulação

O que é a neuromodulação?

A Neuromodulação consiste basicamente na estimulação de áreas neurológicas específicas, a fim de alterar a atividade cerebral e oferecer mais conforto àqueles que sofrem com doenças do sistema nervoso. A dor crônica é a principal queixa desses pacientes, que passam a não responder a formas convencionais de tratamento. Outras doenças, como Mal de Parkinson e Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) também possuem indicações para a realização do procedimento.

Como funciona a Neuromodulação?

Uma vez que o procedimento tem como base a indução da neuroplasticidade do cérebro – ou seja, a capacidade que este possui em se adaptar a lesões e/ou estímulos, a Neuromodulação é um protocolo de tratamento totalmente individualizado. Cabe ao especialista definir qual a região do corpo exata a ser tratada, a melhor técnica e qual o grau ideal da frequência dos estímulos, que podem ser elétricos, magnéticos ou químicos.

Quais as principais técnicas de Neuromodulação?

O neurocirurgião responsável pela Neuromodulação poderá escolher entre técnicas invasivas e não invasivas, sendo estas últimas caracterizadas pela não realização de cortes, perfurações ou aplicação de objetos externos ao corpo.

Técnicas cirúrgicas:

Técnicas não-cirúrgicas:

Caso tenha outras dúvidas agende uma consulta ou entre em contato nos nossos canais de atendimento e deixe o seu comentário.

Dr. Wilson Morikawa Jr.

Publicado por: Dr. Wilson Morikawa Jr. – Neurocirurgião – CRM 163.410 RQE:101438.
Neurocirurgião de São Paulo especialista no tratamento da Doença de Parkinson e outros distúrbios do movimento.

Compartilhe:
Tags:
cirurgia, estimulação cerebral, estimulação medular, neuromodulação
Agendar Consulta
1