Dr. Wilson Morikawa Jr.

FAQ

FAQ

Principais Dúvidas

A doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa progressiva e apesar dos avanços da tecnologia, ainda não tem cura. Uma vez diagnosticada, a doença de Parkinson pode ser controlada e o paciente pode apresentar excelente qualidade de vida.

A doença de Parkinson pode ter uma predisposição genética sim. Os estudos demonstram que a presença de um familiar com Doença de Parkinson aumentam em 3 a 4 vezes o risco de desenvolver a doença.

O tratamento da Doença de Parkinson nas fases iniciais da doença é realizado com otimização de medicamentos associado fisioterapia e fonoaudiologia. A cirurgia é indicada para os paciente que apresentam efeitos colaterais ou resistencia à terapia medicamentosa.

A cirurgia é realizada inicialmente com o paciente acordado para avaliar a resposta à estimulação cerebral profunda. Apesar da cirurgia ser realizada acordada, o procedimento não é doloroso.

O tratamento da dor neuropática pode ser realizado com implante de eletrodos na coluna, no gânglio da raiz dorsal ou nos nervos localizados nos braços ou nas pernas. O local de implante depende do tipo e da localização da dor.

A neuroestimulação é uma terapia que apresenta melhores resultados no tratamento de dores neuropáticas. Para se atingir o melhor tratamento é necessário a avaliação de um médico especialista no tratamento da dor crônica.

Os fabricantes dos eletrodos para neuroestimulação recomendam que os pacientes que possuem eletrodos implantados não passem em portas com detectores de metais. Sempre confirme com o seu médico sobre as especificações do seu aparelho.

O tratamento da dor neurpática é multidisciplinar e não se restringe apenas em uma medicação. A European Federation of Neurological Societe (EFNS) recomenda o uso de analgésicos, associado a anticonvulsivantes e antidepressivos, porém é necessário avaliação de um médico especialista no tratamento da dor neuropática para otimizar a melhor terapia medicamentosa em cada paciente.

Agendar Consulta
1